IE, Firefox, Opera, Safari ou Chrome: como escolher um navegador seguro?

Primeiramente, antes de escolhermos ou compararmos um navegador com outro, temos que analisar as últimas versões, muitas pessoas comparam um navegador Top de uma empresa com um navegador desatualizado de outra, nestes quesitos com certeza a desatualisada terá desvantagem, isto na realidade não é somente para navegadores, e sim para quaisquer outros softwares.

 

De acordo com o teste feito pela PCWorld foi concluido que o que diz se o navegador é ou não mais seguro não é o próprio navegador, e sim o usuário. Um comportamento consciente do usuário e o hábito de instalar sempre as últimas atualizações trazem um impacto muito maior na segurança do que o navegador escolhido.

Mas o que isso quer dizer?

clique aqui para ler a matéria completa

De qual navegador os usuários mais acessam seu site/blog?

Excelente artigo publicado no Cidadão Maluco, onde o Leandro Braçaroto faz a comparação entre os navegadores.

Veja esta e outras matérias direto no Cidadão Maluco.

Chrome cai cada vez mais

Lançado há pouco mais de um mês, o Chrome chegou a ter 1,16% do mercado mundial de navegadores, de acordo com medição da Net Applications. Mas atualmente a fatia conquistada pelo browser representa 0,77% do total. No último dia 18, o navegador chegou ao seu ponto mais baixo, com 0,72% de participação.

Isso deixa o navegador do Google muito longe até mesmo do Safari, da Apple, que tem 6,7% de participação.

Enquanto isso, o Internet Explorer continua a perder seguidores (mas continua na liderança de mercado) e o Firefox se manteve estável. O IE é usado por 71,5% dos usuários, e o Firefox por 19,5%, segundo a Net Applications.

Está certo que o Google tenta dominar o mundo, mas vai ter que melhorar um pouco o navegador. Usei por 4 dias e tirei fora.

Veja este tópico que diz a verdade sobre o Google.

É uma disputa constante, quem conseguir oferecer mais ganha mercado.

Fonte: Imasters

Número de usuários do Chrome começa a cair, tava demorando!

Parece que o impacto do Google Chrome foi realmente “fogo de palha”, já que grande parte de seus usuários está retornando ao Internet Explorer e Firefox. Sites que monitoram o uso dos browsers notaram que, em algumas áreas, o Chrome caiu para abaixo de 1% apenas um dia depois de seu lançamento.

Agora o uso do browser caiu para 0,77%, o valor mais baixo desde que o Chrome foi lançado. Parte dessa perda de usuários está sendo atribuída àqueles que apenas quiseram testar momentaneamente o Chrome e que agora estão retornando aos seus browsers utilizados no dia a dia.

Também pode ser que uma parte destas perdas seja atribuída ao fato dos que quiseram testar o Chrome, mas estão esperando por novos recursos, funcionalidades ou correções de bugs antes de voltarem a utilizá-lo.

Fonte: TechSpot

Chrome tem 1ª correção de falhas

O Google liberou a primeira atualização de seu navegador Chrome, corrigindo algumas falhas de segurança apontadas por pesquisadores após o beta ser revelado publicamente. Além disso, pequenas mudanças em seu engine de JavaScript foram efetuadas, afim de evitar que o browser apresente bugs ao processar sites muito populares, como Facebook.

Como era esperado, o update não revela nenhuma nova característica ou funcionalidade para o navegador revelado há apenas cinco dias.

Vale lembrar que a atualização não é automática. Os usuários que desejam baixar o pacote devem clicar no ícone de ferramentas e selecionar a opção “sobre o Chrome”.

 Concorrência

Revelado há apenas cinco dias, o navegador já detém 2,12% de market share, segundo a Global Marketshare Statistics. Poucas horas após ficar disponível, o browser já era o quarto mais popular no mundo, a frente do Opera e atrás de IE, Firefox e Safari.

O CEO do Google avaliou como “fortemente receptiva” a estréia do browser. Segundo Eric Schmidt, mais do que tornar-se líder no setor de browser, o Google deseja

Fonte: Olhar Digital

O Chrome não quer dizer muita coisa

O Google lançou sua presença no mercado de browsers. Atitude interessante mas que na minha opinião não quer dizer muita coisa.

Ter um novo browser é bacana, vamos ter umas disputas violentas na área dos navegadores, mas eu creio que não muda muito (a minha) a vida dos desenvolvedores. Lembre-se que não importa quão bom seja o IE, Firefox ou o Chrome, nós, desenvolvedores temos sempre que nivelar tudo por baixo, pelo Internet Explorer 6, ainda mais nesta empresa que entrei agora, temos muitos usuários que “ainda” o utilizam. Com certeza a vinda de novos navegadores ajudam com que os antigos sejam descontinuados, mas por enquanto o lançamento de bons browsers só vai, por assim dizer, dar mais vontade de querermos utilizar recursos mais avançados do CSS mas não podem por conta do IE6.

O IE7 foi um avanço interessante. O IE8 está prometendo muito também. Fiquei sabendo que a próxima versão do Firefox será em terceira dimensão (em breve posto sobre isso).

Continue lendo

Chrome está vulnerável a ataque malicioso

 O Chrome, novo navegador do Google, está sujeito a ataques maliciosos. Um pesquisador demonstrou que o browser está vulnerável a ataques de “carpet-bombing” – quando o usuário é induzido a baixar executáveis para o seu sistema.

Segundo Aviv Raff, duas vulnerabilidades combinadas – uma no Apple Safari (WebKit) e uma falha em Java, divulgada na conferência Black Hat deste ano – podem levar um usuário a lançar executáveis a partir do navegador.

Raff fez uma demo inofensiva do ataque em ação (clique aqui para lançar a demo), mostrando como usuários do Google Chrome podem ser ludibriados para executar um arquivo JAR (Java Archive) sem aviso.

A prova de conceito mostra como um simples ataque de engenharia social pode levar o usuário a instalar códigos maliciosos em seu sistema.

Fonte: IDG Now